Com o Super-Filho

Com o Super-Filho

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Sem Rumo Certo

A noite ia avançada. A casa em silêncio. A rua calada. A cidade vazia.
Um grito mudo que crescia no peito. Uma angústia surda que alastrava em si.
Era a solidão feita carne, feita alma, tomando a forma do seu corpo.
Asfixiava naquela noite. Emudeciam nas palavras que morriam, os lamentos que o coração compassava.

Um clique. O acesso a um mundo novo, virtual, enganando a solidão em pseudo-amizades estabelecidas.

A loucura das palavras. O riso que voltava. A cor que, afinal, existia ainda no mundo.
Uma atracção: Foge_Comigo;
Uma paixão: Sem_Rumo_Certo;

Uma sala de chat que, durante aqueles meses, foi evasão de si própria.

Um romance que retrata uma realidade vivida na primeira pessoa. O fascínio, a alienação e o confronto entre a vida real e o mundo virtual.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

O Céu visto da Terra - Margareth

video

Repórter TVI, dia 11.10.2010.

Porque há Estrelinhas que partiram da Terra...
Porque há Caminhos que conduzem ao Céu...
Porque há tormentos que mostram o Inferno...

E porque há rostos belos que importa não esquecer;
E porque há mortes que ensinam a brevidade da vida;
E porque há vidas que mostram a morosidade da morte...

domingo, 10 de outubro de 2010

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Sempre, Margot, minha estrelinha azul

Sem palavras. Sem comentário. Quis pôr o "vídeo" caseiro, que nasceu do meu fraco pc do programa e.escola. Este foi o vídeo apresentado no dia 30 de Agosto em Constância.

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Margot, Estrelinha Azul (o livro)





Aos meus amigos da blogosfera,
(na impossibilidade de me dirigir a cada um em particular)

Dia 30 de Agosto, dia do aniversário da Margot/Margaret, simbolicamente, queria partilhar convosco algumas memórias que ficaram...umas em passos de corrida...outras numa corrida sem passos...

Gostaria que viessem.

Paula, Mãe da Margaret e do Miguel
(Dia 30 de Agosto de 2010, 18 horas, Casa-Memória de Camões em Constância)

sábado, 24 de julho de 2010

Motivos que Motivam...


Se em cada dia nos interrogarmos sobre os motivos que nos levam a isto ou aquilo;
Se em cada dia nos interrogarmos sobre os motivos que nos afastam disto ou daquilo;
Se em cada dia apenas perguntarmos "porquê"...
Talvez encontremos respostas;
Talvez encontremos motivos;
Talvez reste apenas "porquê".

Interrogo-me. Tu interrogaste-te e interrogaste-me. Não soube dar-te respostas. Tu não exigiste respostas.

Restam os motivos. O que nos conduz por este ou aquele caminho. Uns conhecidos, outros nem tanto; Uns que se traçam, outros traçados desde sempre. Percorremo-los. Ainda que não se conheçam os motivos.

Eu corro. Nem sempre. Como todos. Como todas as pessoas fazem algo na vida. Umas vezes fazemos, outras nem por isso. Já fiz outras coisas. Ainda faço outras coisas. Os motivos, esses nem os conheço. Entrego-me apenas. Outras vezes, fico quieta a olhar para o tecto. Ou para a copa de uma árvore. Ou para o céu. Ou para além do horizonte.
Continuo a interrogar-me.

Em breve se completarão 3 anos sobre a data que partiste. Até que tiveste voz para falar e força para sonhar, sonhaste e falaste. Preparaste uma Festa, como dizias "A 4 em 1". Festejaríamos o teu casamento, o teu aniversário, a tua alta hospitalar e a entrada numa outra Faculdade e num curso diferente. Não sei se acreditavas que era possível...(hoje, penso que não, mas quiseste que acredtássemos até ao fim). No dia 2 de Setembro festejaríamos "4 em 1". Um Domingo...um início de semana. Início de um ciclo de vida. Afinal, um ciclo encerrado apenas...
Pregaste-nos uma partida e partiste mesmo!

Continuo a assinalar o dia do teu aniversário. Agora, no dia seguinte assinalo também o dia do teu falecimento. Não é mórbido. Apenas quero que continues a existir para os outros, já que para mim sempre existirás. Que o teu testemunho de coragem nao seja esquecido. Que motives outros a seguir e a percorrer caminhos...
Uns correm. Outros....outros....

Por isso, há motivos que motivam...
Encontro de amigos em Constância, onde agora repousas, estrelinha azul.

Dia 30 de Agosto, dia do aniversário do teu nascimento, pelas 18 horas, na Casa Memória de Camões em Constância será apresentada uma parte da tua história de vida: Margot, Estrelinha Azul.

Dia 31 de Agosto, dia em que partiste, será celebrada missa em tua memória na Igreja Matriz de Constância (Igreja de Nª Srª dos Mártires), pelas 19 horas.

Continuo a interrogar-me sobre os motivos da Vida e da Morte. Continuo. Eu optei por correr. E corro porque não quero parar. Ainda que páre, por momentos, como todos...

sábado, 13 de junho de 2009

S. Vicente de Fora -10 de Junho de 2009

Acordei com muita dor de cabeça. Não me apetecia nada correr. Preferia ter ficado deitada, mas lá fui com uma dúzia de companheiros, atletas do Clube do Sargento da Armada. Desta vez, o Óscar (o meu caniche branquinho que insiste em mudar a cor ao pêlo:)) também foi.

Ninguém fica indiferente à beleza de Lisboa. Esquece-se rapidamente a dor de cabeça, repousando o olhar nas águas do Tejo. Passeia-se o pensamento pelos becos e ruelas. Recuamos a outros dias, outros 10 de Junho, mais felizes, quando em vez de uns calções envergava um traje da nobreza quinhentista.

Em Constância, nesta data, passeava pelo Mercado Quinhentista. Simulava ser a anfitriã de um sarau ou integrava a comitiva que recebia o emissário d´El- Rei, em dia festivo de atribuição de Carta de Foral...

Há alguns anos - talvez uma eternidade - que as Pomonas Camonianas não fazem parte da minha vida. Esse tempo passou...


Lisboa, veste-se de festa para celebrar os Santos Populares. Com especial relevância para Santo António, o Santo Casamenteiro (como dizia o povo), armam-se altares, enfeita-se cantos e recantos com balões e manjericos. À noite, o cheiro da sardinha assada, há-se insinuar-se, irresistível numa fatia de pão...depois, as marchas sairão à rua e a noite terminará perto da madrugada, com uma ginginha no copo e um salto ao bailarico...

A Corrida de São Vicente de Fora, freguesia onde está instalada a Sede do Clube do Sargento da Armada, não é uma prova fácil. Dir-se-ia que Lisboa se elevou ainda mais, deixando o Tejo a seus pés e subiu...subiu... para ficar pertinho do céu...

Fiquei bem classificada no meu escalão, mercê de algum qualquer golpe de sorte...
1º lugar, Vet.III

Um obrigada especial ao António que é sempre o meu "mentor" nas corridas... "falta pouco" ...

Para ele, a Meta é sempre "já ali"...

As próximas Provas...

GRANDE PRÉMIO ENTRONCAMENTO - 21 DE JUNHO

Corrida das Fogueiras

Lagoa de Santo André

Palavras escritas (em elaboração)

  • Sem Rumo Certo (romance)